Prezados pais, diante dos desafios de educar vivenciado atualmente, disponibilizamos os textos abaixo para reflexão.

Contamos com a sua colaboração no grande desafio de “Educar”.


Alunos indisciplinados, mas sem apoio da família

Içami Tiba – Psiquiatra e escritor

Vou usar um exemplo muito elucidativo de um bebê que se recuse a dormir no berço e acaba atrapalhando muito a sua vida, a dos seus pais e dos outros que estiverem ao redor. Um bebê com dias de nascido mamou? Arrotou? Tem que dormir. Se a mãe, ou substituta, deixa-o no colo até adormecer, ele aprende que lugar de dormir é no colo. (….)   Ele passa o dia todo irritado, querendo dormir e não conseguindo. E se ele fosse para a escola lá não há vovós, babás, ou outros “coleiros” para a hora que o beber estiver com sono.

Pais que não exigem respeito dos seus filhos, ensinam a eles que autoridades não precisam ser respeitadas e muito menos os professores que lhes são chatos diretos. Chatos porque não os deixam fazer o que quiserem e na hora que tiverem vontade.

Pais que não ensinam aos filhos os sentimentos de gratidão, de pedir permissão, de pedir favor não aprendem a necessária cordialidade que magicamente movimentam as pessoas: “com licença”; “por favor” e “obrigado”.

Pais que não cobram dos filhos as suas obrigações caseiras não vêem motivo para ter que estudar mesmo que seja por obrigação. Com estas três atitudes, os pais financiam a ignorância e não o aprendizado, além de se tornarem indisciplinados e arrogantes.

Por que iriam eles respeitar os professores? Estes são os primeiros a terem que ensinar o que os pais não ensinaram, inclusive como se comportar na escola.

A escola não pode nem deve se submeter às indisciplinas dos seus alunos, pois ela é a segunda oportunidade para educar estes alunos.

É quase natural que os alunos se rebelem contra a escola, como rebelariam contra qualquer outra regra ou norma que tivessem que cumprir seja onde for: no trabalho, no clube, no casamento, na grande família, com os próprios filhos etc.

O que a escola poderia fazer é formar uma parceria com os pais, através de uma convocação para que estes fossem orientados a cobrarem resultados dos seus filhos em vez de ficarem mimando e querendo adaptar as escolas às inadequações dos seus filhos.

Assim como os pais ensinam o recém-nascido que o berço não é lugar para se ficar e dormir tem que ser no colo deles, são os pais que ensinam que escola não é lugar para os filhos aprenderem e que os professores não merecem ser respeitados nem obedecidos.

Dificilmente um aluno vai se tornar disciplinado somente pelo esforço dos professores e, pior ainda, se os pais reforçam a indisciplina em casa.

 

Fonte: http://educacao.uol.com.br/colunas/icami-tiba/2011/09/13/alunos-indisciplinados


“Construindo valores acreditando no amanhã”

Sobre responsabilidades – Escola, aluno e Família

 

Com a correria do dia a dia, as responsabilidades no trabalho, os estudos noturno etc.. o tempo que a família disponibiliza para os filhos está cada vez menor. Mas, isto não é um problema sem solução. O tempo pode até ser pequeno, porém se for bem aproveitado fará toda a diferença. É ai que entra a responsabilidade dos pais em relação à escola de seus filhos.   É dever dos pais a participação na vida escolar dos filhos. Então conversar com os filhos, perguntar como foi seu dia na escola? Você tem trabalhos escolares? Eu posso te ajudar ? Conta pra mim. Parece simples, mas faz toda diferença para o aluno , ele se sente acolhido, demonstra que a sua atividade que é estudar é importante não somente para ele, como para toda a família.

O aluno têm responsabilidades e muitas como: provas, atividades, matérias diversas, trabalhos escolares, obter boas notas e satisfazer a si e a sua família, sem falar nas mudanças hormonais. E os vestibulando então . quanta pressão! Não é fácil a vida de estudante. Algumas vezes quando o aluno não obtém sucesso, esconde isto da família, não mostra a nota baixa, o boletim escolar ou até mesmo um carimbo de advertência na agenda. Diante deste quadro o que os pais e escola podem fazer?

O primeiro passo é manter um dialogo aberto, claro e permanente com os filhos, pois eles não devem ter medo dos pais e sim respeito e cumplicidade. Criado esta relação eles não esconderão notas, boletins e outros. Os pais devem ser os melhores amigos de seus filhos.

O segundo passo é manter um contato permanente com a escola, procurando sempre estar inteirados como a rotina do filho. Mas como se o tempo dos pais é escasso? Agora vem o próximo passo.

O terceiro passo cabe a escola facilitar o contato com a família. Atualmente com inserção dos novos meios de comunicação como home page, facebook, e-email e whatsapp isto ficou fácil. No caso do Colégio Noeme Campos possuímos todos estes meios de comunicação. Pelo site do Colégio os pais tem acesso a área restrita onde postamos distribuição de pontos, datas de provas , notas obtidas , ocorrências de atividades não cumpridas e questões disciplinares ,boleto bancário e outros. No acesso do aluno os professores postam atividades, conteúdos de provas, dica de estudos e notas . E ainda temos sempre horário disponível para atendimento individualizado.

O que não pode ocorrer jamais nesta relação escola e família, apenas uma parte assumir o comprometimento com o aluno. Cada um deve assumir a sua parte. Sendo assim, os pais precisam acompanhar, apoiar e incentivar o desenvolvimento dos filhos. Este tempo precioso é que fará a diferença e nos proporcionará colher os frutos de um futuro tão almejado.

Os alunos precisam assumir seu papel na escola e fora dela. É dever do estudante ser assíduo ás aulas ,fazer as atividades de sala e de casa, reservar um tempo para estudar e claro ser cordial com os professores e demais funcionários da escola.

É importante o aluno ter em mente que qualquer escola que preocupa com o rendimento escolar do aluno, será rigorosa com as normas disciplinares e regras. A escola não prepara apenas para o sucesso no Enem, mas para uma vida toda. E a família como parceira da escola tem como função apoiar a escola.